Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(em) Amena Cavaqueira

...de amigos, para amigos e com amigos

(em) Amena Cavaqueira

...de amigos, para amigos e com amigos

Happy Halloween

 

Este ano o Halloween foi fraquinho. Mal cheguei do trabalho e já a Paula tinha as coisas preparadas para uma sessãozita fotografica dos residentes.

 

Apanhar os gatos e tentar mascará-los foi tarefa ingloria, o raio das criaturas são aríscas como tudo...

 

IMG_20181031_211219.jpg

Maximus "o macaquinho"

 

IMG_20181031_211358.jpg

 Miguel "o parvo"

 

IMG_20181031_211537.jpg

 Missanga "a velha"

 

IMG_20181031_211734.jpg

 Paula "a bonsai" (afro)

o meu spot de leitura

A maior parte dos livros que tenho lido, tenho-o feito durante as minhas viagens de autocarro de casa para o trabalho e do trabalho para casa (23 anos a trabalhar no mesmo sítio x 50 a 55 minutos por viagem dava para ler metade do espólio da Biblioteca Nacional).

Já várias vezes me têm perguntado como consigo ler no meio de toda a cacofonia, própria de um transporte público. Pois que, por estranho que possa parecer consigo abster-me, a maior parte das vezes, do burburinho circundante e até mesmo do matraquear do rodado do autocarro nos buracos, típicos das nossas ruas.

 

2018-10-31_13-57-45_307.jpg

 Centro Cultural de Belém (foto: tirada por mim)

 

À minha hora de almoço consigo “roubar” mais uns minutos para serem passados neste spot privilegiado de leitura que inclusive já apelido de meu (à laia de confidencia, até a almofada onde me costumo sentar tem o formato do meu traseiro).

Longe de tudo e de todos, ou da passagem ocasional de um colega de trabalho, um levantar de olhar e um cumprimento fortuito são as únicas distracções às minhas leituras.

 

Ah, ao momento estou a ler mais um "Daniel Silva" - O Espião Improvável. 

 

Instalação, ou não, eis a questão...

Fiquei preocupado e ao mesmo tempo maravilhado com uma notícia que li ontem.

 

Explosão em Lisboa junto a zona turística do CCB

 

...e o porquê do maravilhado numa situação terrível destas?

 

Pois bem, tendo em conta que a notícia referencia o CCB inúmeras vezes, "zona turística do CCB", "numa das laterais do Centro Cultural de Belém (CCB)" e, por o sobejamente conhecido edifício dedicar-se à divulgação das artes em geral, que o incêndio com (e passo a citar) "uma viatura da marca de luxo BMW" a páginas tantas não passava de uma instalação de um qualquer artista e que fazendo parte da mesma o próprio teria posto fogo à sua obra, sei lá...! 

A explosão de uma viatura da marca de luxo BMW obrigou, ao início desta noite de sábado, à intervenção da Polícia da Segurança Pública e de um corpo especial dos Bombeiros Sapadores de Lisboa, na forte zona turística da Praça do Império, numa das laterais do Centro Cultural de Belém (CCB).

Vídeo tirado daquí

 

Por sorte e/ou pela rápida intervenção dos Soldados da Paz não houve vítimas ou danos materiais a lamentar.

 

No que diz respeito ao meu parecer sobre a notícia, como disse, avançada ontem, poderá roçar a parvoíce, e que o é na verdade, confesso, mas não podia deixar de comentar. 

dói-dói

Ontem estive embrenhado num DIY (para quem não lhe diz nada esta "cena" das siglas, traduz-se por um "Faça Você Mesmo", mas em estrangeiro). E como sou um rapaz bem-mandado, se assim o diz assim o fiz. Pois bem, fiz uma bolha num dedo com a pistola de colar a quente que me doeu horrores.

 

Estava eu a dizer, estive este fim-de-semana embrenhado num DIY, no caso a ultimar o meu Calendário do Advento 2018, quando a filha da mãe (que não tem culpa nenhuma) da pistola de colar a quente achou por bem pensar que a ponta do meu dedo daria um certo je ne sais quois agarrado ao referido calendário.

Vai daí e... pimba!

  

IMG_20181029_090318.jpg

A prova (dedo) (Foto tirada por mim)

 

Não estou a contar isto para que tenham pena de mim, estou a contá-lo pura e simplesmente por solidariedade para com quem isto já aconteceu e sofreu sozinho a dor e o sofrimento e engoliu a culpa e a vergonha de não ter lido aquele capítulo do manual de instruções, que diz: "COMO MANUSEAR A SUA PISTOLA DE COLAR A QUENTE SEM QUE SE QUEIME E A ATIRE PELA JANELA MAIS PRÓXIMA".  

dieta a quanto obrigas

Comecei a fazer uma dieta!

 

Eu sei que é difícil de acreditar, a quem o dizem, mas sim é um facto. E porque faço disto notícia? Pois bem, simplesmente para vos contar que o outro dia, um dia igual a tantos outros em que a "bonsai" vai às compras e traz fruta, desta feita comprou toranjas.

 

E dizem vocês. - Ah e tal, a toranja é um fruto muito rico em Vitamina C e em glúcidos redutores (açúcares directamente assimiláveis). A toranja está tradicionalmente indicada em curas de emagrecimento, é diurética e é um excelente drenante do fígado (isto não é da minha lavra, tirei isto da net só para me armar em bom).

Muito bem, então ela que gaste toda essa riqueza com outro pois eu já dei para esse peditório. 

 

Imagem1.jpg

"Toranja: a experiência falhada" 

  

A minha mãe tinha uma expressão para estes momentos de rara beleza. - "...são azedas como rabos de gato!" 

Até hoje não percebo tal (anal)ogia e muito menos me sinto tentado a testar tal conceito.

 

Depois desta experiência, julgo que vou voltar ao meu ideal de dieta, A DIETA DO ANANÁS! 

- E que raio é essa dieta? - Sentirão alguns de vocês, os mais curiosos, tentados a perguntar. - A DIETA DO ANANÁS consiste nesta filosofia:

 

COME-SE TUDO MENOS ANANÁS!!!

 

Ah, também li esta notícia que me fez acreditar que AINDA HÁ ESPERANÇA, DEUS É GRANDE! 

 

Passo a citar:

"Quer perder peso? Então coma bolo de chocolate nesta altura do dia..."

 

 

Boas dietas... para quem acha que precisa, claro!

 

MasterChef Austrália

 

Imagem2.jpg

Imagem tirada daquí

 

 

Eu e a Paula seguimos religiosamente todos os episódios do programa MasterChef Austrália de há 10 edições/anos a esta parte.

E dizem vocês. - mas o raio do gordo não larga a comida! - ao que respondo, - "primeiros", parecem a minha mulher , "segundos", trata-se de um tipo, a modos que, de psicologia inversa que ando a testar e "terceiros", atenção como me tratam porque sei onde moram .

 

Continuando

 

Depois da presença, sempre agradável, de Nigella Lawson (confesso que gostava mais dela quando estava  mais "cheínha"), eis senão quando...

A sua reputação precede-o. Ele é um dos mais famosos senão o mais famoso (ou pelo menos mais mediático) Chef do mundo. Ele é a cara do MasterChef USA, e o próprio diabo em HELL`S KITCHEN. Este não é daqueles com que queiram estar na mesma cozinha a cozer, sequer, um ovo. Ele é o guru dos tachos, estando estes na bancada, no fogão, ou o mais provável em cima da cabeça de alguém.

Ele é (um rufo)... GORDON RAMSAY! (escrito não produz o mesmo efeito TCHARAAAAM que na televisão)

 

Bom, tudo isto para dizer que o homem provoca por onde passa um misto de entusiasmo (que se extingue depressa) e de medo tal (que perdura mesmo depois de se ter ido embora), que mais parece o meu cão MAXIMUS quando começo por lhe dizer - sabes onde vais agora? - e ele abana a cauda de tal maneira que se tivesse um dínamo no traseiro conseguia iluminar uma pequena aldeia. E depois quando termino com, - vais tomar banhinho! - aí o seu semblante transforma-se de uma maneira que mais lhe pareço o próprio Nosferatu a sair do túmulo.

 

Mas nem tudo é mau, e eis-nos chegados ao "Teste de Pressão" da semana Gordon!

Três vítim... concorrentes estão neste Teste e preparam-se para o quê? Acompanhar o Chef na preparação de um prato que o próprio confeciona há já 20 anos.

 

"RAVIOLO DE LAGOSTIM DA AUSTRÁLIA EM CAMA DE ESPINAFRES, BISQUE DE MARISCO E VINAGRETE DE LIMÃO" 

 ImageHandler.jpg

 Imagem tirada daquí

 

...

 

Desculpem a pausa mas, tive que ir limpar a baba..., se eu fosse anão como a minha mulher tinha morrido afogado na água que se acumulou na minha boca  (piada parva)!

 

Como estava a dizer, o Chef Gordon prepara-se para confecionar, à frente destes três concorrentes, um prato que estes terão que replicar em tempo real, e que se se atrasarem não haverá volta a dar pois Gordon não irá brandar. 

 

...e que os dois melhores cozinheiros amadores sobrevivam! - disse

 

 

 

Pág. 1/3